Airbag: cuidados e como garantir o bom funcionamento

ago 24, 2017 (0) comentário

Há 3 anos começou a valer no Brasil a obrigatoriedade de carros com airbags, bem como a necessidade dos sistemas ABS nos veículos em carros produzidos a partir do 1º de janeiro de 2014. Por esse motivo, os carros novos possuem, ao menos, o airbag duplo frontal que serve para o motorista e para o passageiro que vai à frente.

Mas ter esse equipamento de segurança não significa que você precisa descartar o uso de cinto de segurança. Ao contrário, a combinação desses dois itens é uma ótima medida para diminuir traumas, lesões e até mesmo mortes em caso de acidentes de trânsito.

O que é Airbag?

O airbag, na linguagem popular, é chamado de bolsa de ar ou então almofada de ar. Trata-se de um acessório de segurança que se infla logo após uma batida ou diminuição súbita da velocidade do veículo. É algo relativamente simples, porém muito eficaz na prevenção de lesões provenientes de qualquer tipo de acidente.

Como funciona o airbag? 

Como citamos anteriormente, o airbag é um dispositivo de segurança que funciona da seguinte maneira: quando um carro é sujeito a qualquer tipo de colisão, vários sensores distribuídos por diferentes localidades do veículo (frente, traseira, laterais e detrás dos bancos) são acionados, emitindo sinais para uma central de controle que verifica qual sensor foi atingido para que possa, posteriormente ativar o respectivo bolsão de ar de protetivo.

O sensor, constituído por pastilhas de nitrogênio, é acionada através de uma rápida descarga elétrica emitida pela central de controle dentro do bolão de ar. Esse acessório apenas é ativado quando ocorre uma colisão equivalente a uma batida ente uma velocidade que varia entre 15 e 25 km/h que leve o veículo a uma parada completa.

A insuflação do airbag leva apenas 25 milésimos de segundos até ser concluída, período de tempo cinco vezes mais rápido do que um simples piscar de olhos. A sua rápida ação, permite que o airbag tenha a capacidade de amortecer violentas colisões e evitar uma série de lesões em rostos, peito e coluna. Após a colisão e com a intenção de evitar qualquer tipo de asfixiamento, a bolsa de ar vai perdendo pressão através de pequenos furos rapidamente assim que sua liberação ocorre.

Passo a passo da insuflação dos airbags

Os airbags são constituídos por três partes:

  • Saco;
  • Sensores;
  • Sistema se insuflação.

O saco é feito de um tecido extremamente fino, muito semelhante ao nylon, que é dobrado e colocado dentro do interior do volante ou tablier – dispositivo de armazenamento do airbag que podem estar espalhados pelo veículo em painéis, banco, interior do encosto e até mesmo nas portas.

Os sensores dos airbags quando acionados, transmitem a informação ao saco que deve ser preenchido.

O sistema de insuflação, então, conta com um mecanismo que produz e liberta azoto gasoso, preenche o saco fazendo com que o airbag seja insuflado protegendo, assim, os ocupantes do veículo.

Esse sistema é muito semelhante a um foguete que contém combustível sólido. Isso porque ao detonar uma carga sólida, esta é queimada rapidamente, dando origem a um grande volume de gás que tem capacidade de insuflar a bolsa. A velocidade de insuflação da bolsa é de cerca de 320 km/h.

Especialistas em segurança automotivo afirmam que os airbags funcionam como um cinto de segurança complementar, isso pelo simples fato de, além de reduzirem o impacto da colisão sobre a cabeça e demais partes do corpo do motorista e passageiro(s), possui como função ajudar a distribuir de maneira uniforme a força do choque pelo corpo dos ocupantes do carro. Por isso, na hora de escolher um carro você deve optar por um que possua o dispositivo de segurança instalado.

Dicas para melhor utilização e bom funcionamento do airbag

A seguir mostraremos importantes dicas de como potencializar o uso desse importante dispositivo.

1 – Determinada distância deve ser mantida

Airbags foram desenvolvidos para funcionarem junto à posição normal de ocupação do veículo. Se o condutor ou passageiros estiverem muito inclinados para frente ou afastados, o airbag não funcionará de modo efetivo, podendo causar danos aos ocupantes do veículo.

Pensando basicamente em uma regra geral, a distância entre os membros superiores do corpo e o airbag do volante devem ficar entre 25 e 30 centímetros. Os braços não devem estar nem totalmente esticados, tampouco totalmente flexionados. Uma dica muito boa é esticar os braços acima do volante para que lesões nos pulsos, braços, cotovelos e ombros sejam evitadas.

2 – Grávidas precisam ter atenção

Mulheres que estejam em período gestacional devem sempre se manter na posição correta com a parte inferior do cinto de três pontos posicionado abaixo da barriga e observar a distância entre 25 e 30 centímetros com relação ao airbag. Se posicionar de maneira incorreta, pode resultar em lesões que podem prejudicar tanto a saúde da mãe, quanto do bebê.

3 – Não coloque os pés sobre o painel

Infelizmente ainda é um tanto quanto comum que passageiros apoiem seus pés sobre o painel dos veículos. Isso não deve ser feito de maneira alguma em carros que possuam o dispositivo de airbag. Essa medida visa impedir que as pernas sem arremessadas contra a própria pessoa em caso de colisão e ativação das bolsas de ar. Não é raro nos deparamos com relatos de pernas fraturadas em decorrência da ativação do airbag.

4 – Objetos não devem ser deixados em qualquer lugar

Objetos como celulares, carregadores e GPS são relativamente comuns dentro de um veículo em movimento. Porém, esses não devem ser colocados nos locais indicados com a sigla airbag, como no centro do volante, acima do painel e até mesmo sobre o porta-luvas, uma vez que em caso de insuflação do dispositivo podem ser arremessados contra os ocupantes do veículo.

5 – As pernas devem ser mantidas livres

Bolsas e demais objetos no colo dos passageiros podem ser transformar rápida e perigosamente em itens com potencial de serem arremessados em caso de colisão. Isso também vale para animais de estimação como gatos e cachorros e até mesmo para crianças de colo. Em caso de acionamento do airbag, tanto pets quanto pequenas crianças podem se machucar e também machucar os ocupantes que os seguram em seu colo, por isso, devem ocupar locais adequados – como o banco traseiro.

Para aumentar ainda mais a segurança do veículo, seguro auto pode ser contratado

Embora dispositivos de segurança como cintos, freios ABS e airbags sejam úteis no que diz respeito à segurança de motoristas e ocupantes de veículos, a melhor maneira de manter o veículo realmente protegido é através da contratação de um seguro auto.

O trânsito brasileiro atualmente é um dos mais perigosos do planeta. Portanto, dirigir em ruas e estradas brasileiras virou sinônimo de perigo e necessidade de atenção. Quem se envolve em um acidente e é culpado por isso muitas vezes precisa arcar com os custos de consertos do próprio veículo e também do veículo de terceiros.

Porém se o motorista tiver seguro auto, basta que ele arque apenas com o valor da franquia contratada na apólice que a seguradora irá arcar com todos os gastos necessários.

A mesma ideia é válida no caso de roubos e furtos. Infelizmente esses dois tipos de crimes são muito comuns no país. Atualmente a média de furtos de veículos no Brasil é de cerca de 1 veículo furtado por minuto. Já imaginou você economizar por um longo período de tempo ou fazer um financiamento longo e ter o seu veículo furtado? O prejuízo seria enorme. No primeiro caso você perderia o veículo e o capital nele investido e no segundo caso teria um carnê longo para pagar, porém não teria mais o veículo em sua garagem.

Quem conta com um seguro auto pode ficar tranquilo com relação a isso, pois em caso de roubo e furto, basta apenas que o segurado arque com a franquia contratada que recebe o valor do veículo “perdido”, ou seja, uma tranquilidade sem tamanho.

Embora dispositivos como alarmes e rastreadores aumentem a sensação de segurança de motoristas proprietários, a única maneira de manter um veículo realmente seguro é através da contratação de um seguro auto.

Atualmente é possível fazer uma cotação online e contratar um seguro auto que realmente atenda às necessidades de cada pessoa de modo particular e real, ou seja, evitando gastos desnecessários com coberturas que não seriam utilizadas.

Não dê sorte para o azar. Proteja seu veículo da melhor maneira possível e evite todo e qualquer tipo de imprevistos. Contrate um seguro auto e dirija por aí totalmente tranquilo.

Comentário (0)

Deixar comentários