10 hábitos que danificam o carro

jul 06, 2017 (0) comentário ,

Quem possui um carro ou quem quer comprar um sabe como são grandes as dificuldades para se obter um veículo próprio e deixar, enfim, de depender do péssimo sistema de transporte público que atende muitas regiões do país.

Quando se fala em manutenção e prolongamento da vida útil do veículo, logo vem à mente dos motoristas: caminhos esburacados, combustíveis adulterados e até mesmo defeitos crônicos de fábrica. Porém, algo precisa ser levado em consideração no que diz respeito a danos no carro: a maneira como o(a) motorista dirige o seu veículo.

Embora pouca gente acredite, é um tanto quanto comum que hábitos de direção dos próprios motoristas danifiquem o bom funcionamento de uma série de componentes do veículo.

E para te ajudar a saber melhor à respeito, listamos os 10 principias hábitos que danificam o carro. Ficou curioso? Então leia o nosso artigo a seguir.

1. Rodar com o veículo com combustível na reserva

Que o preço da gasolina não é bom, todo mundo sabe, por isso é comum que motoristas rodem por aí com o ponteiro de gasolina no vermelho. Essa prática deve ser evitada pelo simples fato de poder queimar a bomba de combustível por superaquecimento.

A bomba de gasolina fica alojada no interior do tanque do veículo. Um dos motivos disso é para que o próprio combustível atue retirando o excesso de combustível de calor gerado pelo motor elétrico que está dentro da bomba. Se você rodar com o combustível na reserva, essa troca de calor não ocorrerá, e o superaquecimento diminuirá a vida útil da bomba, fazendo com que gastos antecipados tenham que ser arcados.

2. Andar com o carro desalinhado

Mecânicos de oficinas especializadas e credenciadas de seguro auto afirmam que rodar com o carro desalinhado, além de diminuir drasticamente a vida útil dos pneus, exige grande esforço das peças estabilizadoras da suspensão dianteira, como buchas, pivôs e terminais, por exemplo.

Quando o veículo possui direção hidráulica, o problema só é notado quando os dois pneus dianteiros perderam totalmente sua vida útil. Fazer o alinhamento a cada 10.000km é muito mais barato do que os prejuízos de andar com o carro desalinhado.

3. Passar em lombadas ou valetas com o carro na diagonal

Esse péssimo hábito, inclusive extremamente comum, provoca a torção de toda a carroceria do veículo. Essas torções desnecessárias podem causar o rompimento de pontos de solta, o que geram barulhos/ruídos difíceis de serem identificados. Acabamentos plásticos também são afetados, colaborando para o aumento de rangidos indesejados.

A melhor maneira de passar em uma lombada é com as rodas retas e em baixa velocidade, dessa maneira, a força de compressão é distribuída igualmente por todo o veículo, aumenta a vida útil e a qualidade de seus componentes, evitando gastos antecipados em oficinas mecânicas e até mesmo ativação do sinistro do seguro auto.

4. Rodar com o óleo vencido

Perder a data de troca de óleo diminui drasticamente a vida útil do motor. É muito comum que motoristas argumentem que passaram apenas 500 km ou então 1000 km da quilometragem prevista. Mas imagine o motor do seu carro girando a 3.000 rotações por minutos ou mais com o óleo vencido.

Uma das reclamações mais comuns, de acordo com corretores de seguro auto, é a necessidade de retificação de motores muito cedo. A principal causa disso é o cuidado com a troca de óleo. A troca estabelecida pelo manual do proprietário deve ser seguida à risca.

5. Estacionar em descidas com o carro encostado na guia 

É um tanto quanto frequente motoristas estacionarem seus veículos com suas rodas apoiadas na guia. Isso é um erro, pois tende a sobrecarregar demasiadamente a suspensão e o amortecedor da roda apoiada. Isso gera desgaste precoce, além de comprometer a segurança de rodagem do veículo. Portanto, se for parar em descida puxe o freio de mão e deixe o carro engatado, ele não irá descer a ladeira.

6. Arrancar bruscamente e frear de maneira demasiada

O motor do veículo fica apoiado sobe coxins, que são objetos que possuem a função de absorver os movimentos de vibrações do propulsor do carro. Quando você arranca de modo brusco ou freia de maneira demasiada acaba por danificá-los. As trocas dos coxins não são nem um pouco baratas e seu desgaste de modo desconhecido pode colocar em risco todo o bom funcionamento do veículo.

7. Girar o volante com o veículo desligado

Esse é um erro clássico capaz de trazer grandes danos ao sistema de direção do veículo. Girar o volante com o veículo desligado sobrecarrega o sistema de direção hidráulica, algo que danifica os retentores e provoca o vazamento de óleo hidráulico, isso traz grandes danos ao sistema de direção e pode endurecer e até mesmo travar o volante enquanto o veículo estiver rodando, colocando em perigo motorista e passageiros.

8. Descer a serra desengrenado

Descer a serra desengrenado traz prejuízos duplos ao motorista, pois pode superaquecer o sistema de freios, bem como gastar mais combustível.

Além de superaquecer os freios, ainda promove um desgaste acentuado das pastilhas, gerando um empenamento dos discos de freio, em caso de contato com água (chuva, pista molhada, garoa, sereno). Além disso, com o câmbio engatado, a injeção eletrônica faz uma leitura correta do funcionamento do motor, economizando gasolina.

Vale lembrar que quando andamos em ponto morto, o carro perde totalmente a tração, algo que diminui a estabilidade e reduz drasticamente os níveis de segurança.

9. Passar em áreas alagadas

Engenheiros automotivos, mecânicos e até mesmo corretores de seguro auto recomendam a qualquer motorista que não passe com o veículo em áreas alagadas. Esse péssimo hábito diminui drasticamente a vida útil dos rolamentos das rodas do veículo e dos esticadores de correia, principalmente em veículos mais antigos que possuem vedadores de rolamentos totalmente suscetíveis à ação do vento. A água penetra no interior do rolamento e a médio prazo enferruja uma série de componentes internos.

O sistema elétrico também pode ser afetado. Mesmo após um longo período de tempo do motorista ter enfrentado uma área alagada, o circuito elétrico do veículo pode sofrer um curto circuito e simplesmente parar de funcionar, desligando o carro e podendo causar algum acidente.

Além disso, cobrir o escapamento com água, faz com que os gases da queima de combustível não sejam eliminados corretamente, o que aumenta as chances do motor fundir. É possível saber quando o motorista teve o motor fundido por forçar passagem em alagamentos – portanto, se você forçar seu veículo na chuva durante um alagamento e o motor fundir, o seguro auto não cobre o conserto. Está preso na chuva e a água começou a subir? Procure rapidamente sair e proteger o carro.

10. Descansar o pé na embreagem

Esse é um hábito totalmente errado, mas que ainda se faz presente em uma série de motoristas.

Descansar o pé na embreagem pode diminuir de maneira drástica o tempo de vida útil do sistema. Embora muitas pessoas tenham plena consciência disso, muitas vezes o reflexo, de maneira automática faz com que muitos motoristas apoiem o pé esquerdo sobre o pedal de embreagem. Infelizmente é a força do hábito.

Muitos mecânicos recomendam que o motorista cole um adesivo no volante para que se lembre que apoiar o pé na embreagem é algo errado. Além de descansar o pé sobre o pedal de embreagem, segurar o carro em uma subida, também utilizando o sistema de embreagem diminui em quase 50% a vida útil das peças que fazem parte desse sistema.

Portanto, se quiser manter o veículo em boas condições de uso e não ter um prejuízo financeiro, só pise na embreagem quando for realmente necessário.

Seguro auto pode ajudar a manter o bom funcionamento do carro

Contratar um seguro auto é uma ótima maneira de perder velhos hábitos. Algo muito comum em seguradoras são cartilhas que mostram aos motoristas como cuidar de maneira correta dos seus veículos e evitar o desgaste prematuro das peças e de alguns sistemas de funcionamento do carro.

Além de auxiliar na manutenção e cuidado do veículo, contratar um seguro auto é fundamental para a segurança e bom funcionamento do veículo.

Imagine só financiar um veículo em 48 ou então 60 vezes e ter o bem furtado logo no começo do pagamento das parcelas. Um prejuízo duplo, não é mesmo? Ou até mesmo se envolver em um acidente onde você é o culpado? Seria necessário pagar pelo conserto do seu veículo e de terceiros, aumentando drasticamente o seu prejuízo.

Por isso, não se pode contar somente com a sorte, tampouco conviver com a ameaça constante do azar. A melhor maneira de proteger o seu carro e também o seu bolso é através da contratação de um seguro auto.

Faça uma cotação de maneira totalmente online clicando aqui e receba de maneira quase que imediata uma simulação de valores em seu e-mail. Escolha a que mais lhe agrada, contrate e saia rodando com seu veículo de modo seguro e tranquilo.

Comentário (0)

Deixar comentários